Os bons, os maus, e os assim-assim

may-de-figueiredo.jpg
Homens, há-os de todos os tipos. E estes tipos em que se dividem também dão para classificar na cama.
Dos mais fraquinhos aos mais habilidosos, dos mais tantricos aos mais velozes, todos têm uma certeza absoluta: eles são os melhores. E a culpa nem é deles.
Para começar, há uma coisa chamada quimica que manda muito nisso. Eles e elas podem ser muito bons na cama, mas há aquele pequeno detalhe que manda em tudo. Se encaixa ou não. Se combina ou não.
Depois, há também o savoir faire. E disso, ou da sua falta, neste caso, a culpa é apenas das mulheres. Porquê? Porque fingem orgasmos. Porque não criticam. Porque põe o sorriso número 3 e dizem que foi óptimo. Porque fazem de conta que está tudo bem. Para mim, há os bons, que vale sempre a pena repetir, os maus, que já deverão ter sido esquecidos na altura em que lhes estamos a fechar a porta para se irem embora e os assim-assim. Os assim-assim apresentam-se como o caso mais dificil de encarar. O grande mistério das performances sexuais: aqueles que não foram tão maus que devam ser esquecidos, nem tão bons que devamos repetir. São aqueles que têm tudo para dar certo, para funcionar bem, mas há algo na performance deles que deixa a desejar. Normalmente, é a dita. A tendência para repetirmos o erro novamente é grande, porque temos a certeza que há ali umas arestas para serem limadas, mas que ele não deixa de ser um diamante. Desenganem-se! A este, pouco ou nada há a fazer. Os maus, um dia, terão alguma mulher honesta que lhes dirá isso -que são maus-, e eles irão esforçar-se por conseguir fazer melhor. Estes não. Estão convencidos que são os melhores. Normalmente têm uma carinha laroca e um corpinho acima da média, e por isso -acham- não têm que se esforçar. Duas diferenças, só em tom de exemplo:
Ponto G:
Os bons sabem onde fica, e encontram-no sempre que querem. E encontram!…
Os maus não fazem ideia que exista.
Os assim-assim já ouviram falar, mas acham que é um mito, em parte porque nunca foram capazes de o encontrar, em parte porque não acham que valha a pena o esforço.
Clítoris:
Os bons sabem para que serve.
Os maus acham que é uma ilha grega.
Os assim-assim acham que não são eles que têm de fazer nada.

Nos bons não devemos mexer. “Usar” e abusar, apenas.
Os assim-assim ainda têm remédio, desde que tomemos uma atitude de gente.
E melhorar os assim-assim e tentar salvar os maus só depende de nós. Já experimentaram dizer que não foi bom quando não foi bom? Essa terá de, urgentemente, deixar de ser uma mentirinha piedosa!

Advertisements

2 responses to “Os bons, os maus, e os assim-assim

  1. Mas o ponto G é real??
    Pensava que era uma revista de bordados.

  2. Gabriel Tavares

    hmm..acho que tem mais a ver com a velocidade no espaço ou algo assim do género.. certo?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s